Afinal de contas, qual a diferença entre baixo e guitarra?

Atualizado em 20/04/2020.

Se você não sabe a diferença entre a guitarra e o contrabaixo (baixo), não fique envergonhado. É o caso de muita gente, até mesmo de alguns artistas inseridos no meio musical: o vocalista da banda norte-americana R.E.M, Michael Stipe, também não tinha ideia da diferença entre baixo e guitarra. Michel confessou à Rede de rádio e televisão do Reino Unido BBC “eu só sabia que o baixo tinha quatro cordas porque eu sabia contar, mas não sabia que ele tinha notas graves”. Por mais embaraçoso que seja, para leigos, a confusão entre os dois instrumentos pode acontecer. Para te ajudar a entender melhor cada instrumento, destacamos 5 diferenças:

1 NÚMERO DE CORDAS

A quantidade de cordas, de fato, é uma das diferenças: enquanto o baixo possui 4 cordas a guitarra possui 6, no entanto, há variações de baixos com 5 e 6 cordas também. 

Guitarra 6 Cordas
Contrabaixo 4 Cordas

2 AFINAÇÃO

As cordas do baixo são afinadas de acordo com as 4 últimas da guitarra, porém, uma oitava abaixo, deixando o som do instrumento mais grave. Em comparação com a guitarra, os baixos de 5 cordas normalmente possuem uma corda mais grave que é afinada em Si. Já os de 6 cordas têm uma nota mais grave e uma mais aguda, a grave em Si e a aguda em

Guitarra: sons mais agudos
Contrabaixo: sons mais graves

3 TAMANHO

Por conta da afinação, o tamanho do baixo é, consideravelmente, maior e as suas cordas também são mais espessas.

Guitarra
Contrabaixo

4 DIGITAÇÃO

Ao tocar um instrumento musical existe algo chamado digitação, que nada mais é do que a disposição dos dedos e mãos de um instrumentista. Nos instrumentos de corda (assim como nos teclados), a digitação é estabelecida não apenas pela nota em si, mas pela forma mais adequada para a interpretação do som. Por isso, engana-se quem pensa que ao saber tocar guitarra, necessariamente se sairá bem no baixo, e vice versa. Além da diferença de afinação, a distância entre as cordas e o braço do instrumento são maiores no contrabaixo, tornando a digitação diferente.

5 FUNÇÃO

Como já apontamos, os baixos (com 4 cordas) são afinados com as mesmas notas que as 4 últimas cordas de uma guitarra, porém, uma oitava mais grave. Fazendo com que o instrumento tenha uma sonoridade bem diferente da guitarra e dando “funções” musicais diferentes para cada instrumento. A guitarra possui um timbre mais “brilhante”, e fica com a parte melódica da música em uma banda. E o baixo é responsável pela marcação do ritmo da música (ao lado da bateria), embora também seja um instrumento melódico. A bateria e o baixo formam a “cozinha” musical de uma banda, como a “base” do som feito em conjunto com os outros instrumentos. O baixo também é usado para “equilibrar” a sonoridade das músicas.

Guitarra e Contrabaixo Elétrico

Amplificador de Guitarra
Amplificador de Baixo

Apesar das diferenças, há também muitas similaridades, por isso pode ser difícil diferenciá-las à distância. Ambos, guitarra elétrica e contrabaixo elétrico, tem o som amplificado eletronicamente. O som produzido manualmente pela vibração das cordas é transformado em sinal elétrico por conta de captadores magnéticos. Esses sinais podem ser amplificados e emitidos por um alto-falante que converte os sinais elétricos em ondas sonoras.

Foi a alta potência do som e a possibilidade de alteração eletrônica de diversas características do timbre, que garantiram o uso de guitarras elétricas desde seu lançamento, especialmente no rock, jazz, blues e pop. Já a aceitação do baixo elétrico no início dos anos 50 teve alguma resistência, pois os instrumentistas notaram certa diferença ao tocar o instrumento na versão elétrica. Mas com o boom do rock ‘n’ roll na década de 60 os baixistas se renderam à evolução do instrumento e fixaram definitivamente a presença do baixo nos palcos.

Um fato interessante é que o responsável pela evolução do modelo acústico para o elétrico dos dois instrumentos foi o mesmo: Clarence Leonidas Fender. Leo Fender, como era conhecido, fundou a Fender Electric Instrument Manufacturing Company, hoje conhecida como Fender Musical Instruments Corporation. Aos 42 anos, ele foi o precursor de uma das maiores companhias de guitarras e baixos do mundo, mas na época não sabia sequer afinar uma guitarra. Viu, só? A vida é um eterno aprendizado!

Aprenda a tocar estes instrumentos aqui no Belas Artes Joinville!

Você já teve a oportunidade de ouvir cada um dos instrumentos individualmente? O que achou mais interessante? Compartilhe com a gente!

Autora: Heloiza Castro

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print

Deixe seu comentário!