Saúde emocional: como a arte pode ajudar?

Com o crescimento em grandes proporções de doenças como a depressão e a ansiedade, a busca pela saúde emocional se tornou uma aliada de quem precisa vencer estas patologias. A questão é que o bem-estar emocional deve ser desejada por todos, afinal, as emoções são grandes responsáveis pelo bem estar do corpo, da mente e da nossa vida em sociedade.

Para falar sobre esse assunto, entrevistamos a pastora Kauane Leite, que é formada em psicologia e pratica atividades artísticas desde a infância. Kauane é de Cruz Alta, Rio Grande do Sul, e atua como pastora auxiliar na igreja Onda Dura, onde está a frente de diversos projetos voltados à saúde emocional. Confira:

Belas Artes: Como começou a sua história com a arte?

Kauane: A minha história com a arte começou porque eu era muito tímida na minha infância. Eu era muito introvertida e a minha mãe me colocou na aula de teatro para ver se eu começava a me desenvolver um pouco mais, começava a cumprimentar as pessoas (risos). Eu também era muito descoordenada então minha mãe me colocou na aula de dança para que eu tivesse mais coordenação. E aí eu me encontrei nas artes: estudei música, teatro, dança, etc. Acabei vindo para Joinville para estudar dança e me formei na Escola Bolshoi. Sempre fui muito apaixonada por dança-teatro, a conexão entre a dança e o teatro sempre foi o que me chamou muita atenção.

Leia também: Como um curso de teatro pode ajudar a superar a timidez?

Belas Artes: E o que te chamou a atenção entrar na área da saúde, especificamente psicologia?

Kauane: Tanto na dança quanto no teatro, existe uma relação direta sobre o que se sente, sobre o que as pessoas sentem, sobre a humanidade, sobre as relações. Até na dança a gente sempre trabalha muito a questão do contato, improvisação, a necessidade do corpo do outro para criação de algum processo coreográfico, etc. E tudo foi gerando em mim um interesse sobre estudar as relações, estudar os sentimentos, as emoções e enfim, estudar psicologia.

Belas Artes: O que você vê em comum entre psicologia e arte?

Kauane: Para mim, elas caminham juntas e tem uma relação muito direta. Inclusive, na faculdade, se estuda um pouco de história da arte, a arte como ferramenta de expressão, como ferramenta que auxilia no processo de relação, que auxilia no processo de expor as emoções. Tem gente que faz trabalhos muito legais usando a arte como um meio para que as pessoas se sintam ouvidas, amadas, acolhidas. Para que a arte seja um espaço onde as pessoas conseguem colocar pra fora/expressar o que sentem. Eu não consigo ver uma separação, eu vejo a arte como uma potencializadora de vida, uma potencializadora das relações.

Belas Artes: Algumas pessoas já nos procuram buscando atividades artísticas com o objetivo de melhorar a saúde emocional. Você poderia explicar o que é e qual é a importância da saúde emocional?

Kauane: Saúde emocional é o bem-estar das emoções. Quando a gente fala de saúde a gente não fala sobre não estar doente, a gente fala sobre uma condição de bem-estar. Hoje em dia as pessoas andam muito cansadas, sobrecarregadas, é tudo uma correria. Diversos fatores são as causas, mas as pessoas estão adoecendo de uma maneira muito agressiva, a gente vê claramente isso. E a saúde emocional é a capacidade de estar bem, de conseguir lidar com as emoções. Não é “não estar triste”, não é “não ter raiva”, não é “não chorar”, mas é saber lidar com as emoções e encontrar ferramentas para que você consiga seguir a vida sem precisar ter um sofrimento doentio. Sofrimento faz parte da vida, mas sofrimento doentio (que te impede de encontrar alternativas), a gente pode evitar. E se evita com descanso, com auto-cuidado, com relações saudáveis e com ferramentas de expressão (seja arte, terapia, amizades, redes de apoio, etc). Estas práticas vão potencializando a saúde emocional, de modo que o indivíduo consiga viver bem. Não sem problemas, mas conseguindo lidar com os problemas.

Belas Artes: Como e por que a prática artística faz bem para a saúde emocional?

Kauane: Tem uma poesia da Viviane Mosé que fala que sofrimento, dores, problemas, doenças são “poemas presos em nós”. Esses “poemas presos em nós” são amarguras, mágoas, dores, sentimentos que de alguma forma a gente precisa colocar pra fora, se não vira doença. Eu fiz uma pesquisa sobre demandas emocionais em pacientes que estavam em um pronto atendimento de um hospital geral. Eram pessoas que estavam com dores orgânicas como dor de cabeça, dor nas costas, dor no estômago, mas eram provenientes de questões emocionais. Eu vejo que a arte é uma maneira, uma ferramenta para que a pessoa possa, de alguma forma, lidar com as relações, enfrentar as emoções, trazer para fora os sentimentos. Para que possam se expressar, seja através da música, da dança, do teatro ou dos próprios encontros que as aulas oferecem. Às vezes não é a cena em si, mas são as aulas que geram um ambiente terapêutico, onde as emoções podem visitar esses espaços e isso pode ser um auxílio nesse processo de saúde emocional.

A arte beneficia a saúde emocional, facilitando um caminho de expressividade e autoconhecimento, além de proporcionar uma rede de relacionamentos. No Belas Artes Joinville temos mais de 40 opções de cursos, com turmas individuais, em duplas ou grupos. Escolha um curso e invista na sua saúde emocional!

por Heloiza Castro

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on print

Deixe seu comentário!